"O Fado nasceu um dia, quando o vento mal bulia e o céu o mar prolongava, na amurada dum veleiro, no peito dum marinheiro, que estando triste cantava..."

JOSÉ RÉGIO

 

A CASA DE LINHARES é hoje o que resta de um edifício renascentista que ruiu no terramoto de 1755. Aqui viveram os Condes de Linhares, uma das famílias nobres de Portugal. Erguida junto às margens do Tejo, no século XVI, a Casa de Linhares mantém ainda o charme oitocentista, apresentando de pé o torreão e um cunhal com brasão.

O Fado surge no século XIX, nos bairros históricos da cidade e em contextos populares de convívio. Era cantado de forma espontânea e as letras das músicas retratavam as suas vivências, recorrendo à gíria e ao calão. No entanto, a presença de figuras da aristocracia nesta vida boémia, ditaram um futuro diferente para a história do Fado.

Tocado e cantado por profissionais, o Fado instala-se assim em casas próprias, onde também se podem saborear pratos e petiscos da cozinha tradicional portuguesa. Surgem também outras casas, onde se pode ouvir Fado vadio, cantado por amadores e à desgarrada. Este ritual perpetuou-se até aos dias de hoje.

A importância que o Fado conquistou foi consagrada com a sua proclamação como Património Cultural Imaterial da Humanidade, em Novembro de 2011 pela UNESCO. 


Segue-nos no Instagram @casa_de_linhares